Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


29/07/2014

Distrito Federal registra mais de 630 incêndios florestais neste mês

Com a chegada do período mais seco, em que a umidade relativa do ar pode atingir níveis críticos, começam os incêndios nas matas do Distrito Federal.

Google

Para combater o fogo, que chega a consumir grandes extensões da mata nativa do Cerrado, o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal trabalha todos os anos, durante a estiagem, com a Operação Verde Vivo.

A operação deste ano começou no dia 17 de maio e vai até novembro.

Os trabalhos implicam aumento no efetivo da corporação, relocação de viaturas de outras unidades e a disponibilização de equipamentos específicos de combate a incêndios nas áreas mais suscetíveis. Em 2014, o Corpo de Bombeiros mobiliza diariamente na operação 170 soldados, que comprem escala de 24 horas, e fica com 130 de sobreaviso. Os soldados contam com o apoio de oito centros de socorro, que cobrem toda a região do Distrito Federal, além de 24 viaturas e quatro aeronaves.

De acordo com a corporação, do começo deste ano até o corrente mês, foram registradas no Distrito Federal 1.226 ocorrências de incêndio com aproximadamente 1.600 hectares queimados. Apenas neste mês, foram 638 casos, com 1.014,44 hectares queimados. Em julho do ano passado, o número de incêndios chegou a 841 com 1.398, 85 hectares queimados – em todo o ano, foram 4.069 ocorrências, com a queima de 7.853,48 hectares.

O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro, perdendo somente para a Floresta Amazônica. Os incêndios no Cerrado provocam uma série de problemas ambientais, destroem a vida vegetal e animal e contribuem para a redução de recursos naturais como nascentes e o empobrecimento do solo para plantio e desenvolvimento da região.

Os incêndios florestais podem ter causas naturais, como queda de raios, ou ser provocados por fatores humanos, como soltura de balões, prática de queimadas para preparar o solo para a agricultura e queima de lixo, além de pontas de cigarro jogadas, principalmente à margem de estradas.

É proibido o uso de fogo em áreas de floresta e nas demais formas de vegetação – a queimada sem licença do órgão ambiental é tida como incêndio criminoso e punida pela Lei de Crimes Ambientais. A pena para os responsáveis vai de um a quatro anos de reclusão.


Fonte: Ambiente Brasil



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

22/07/2019 às 20:18

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1071 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey