Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


10/11/2014

Incêndios florestais cresceram até 275% no Sudeste

Foto Google

Segundo um levantamento feito pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), entre 1º de janeiro até o último dia 03 de novembro, foram registrados, somente no estado de Minas Gerais, 11.872 focos de incêndio florestal, um aumento de 135% em relação aos 5.042 casos de 2011.

Em todos os outros três estados do Sudeste – São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo – também houve crescimento, a exemplo do que ocorreu em quase todo o Brasil. Apenas Alagoas, Pernambuco, Mato Grosso do Sul e Sergipe tiveram leve queda no período, de 1%, 7%, 26% e 49%.

O Rio de Janeiro teve proporcionalmente o maior crescimento no número de casos: foram 1.372 focos do início do ano até o começo de novembro, índice 275% superior aos 365 do ano passado. Com uma área muito maior do que a do estado de São Paulo – 248.209 km² ante 43.696 km² – supera o território fluminense em número de queimadas. Foram 4.606 focos de janeiro a novembro, aumento de 150% em relação aos 1.836 do período em 2013.

De acordo com a pesquisadora do Nepam (Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais) da Unicamp (Universidade de Campinas), Simone Aparecida Vieira, a estiagem é o principal fator que contribui para esses números. “Floresta tropical como a que temos só pega fogo quando está seca. Além disso, a falta de chuvas aumenta o material combustível na área – aquelas folhas secas que caem das árvores. Assim, a gravidade do incêndio cresce, bem como a possibilidade de ele se alastrar por áreas maiores”, explica Simone.

Instalado sobre a cidade de Cuiabá (MT), o satélite do Inpe tem capacidade de localizar qualquer queimada com mais de 30 metros de extensão. Ou seja, casos controlados antes de atingirem a medida não são incluídos na lista de focos de incêndio – caso contrário, os números poderiam ser bem maiores.

Em São Paulo, por exemplo, as chamadas de ocorrências de incêndios chegaram a 18.700 em 2014, índice muito superior ao total de 4.606 casos registrados como queimadas pelo Inpe. Em outubro passado, mês mais seco dos últimos 20 anos, a falta de chuvas elevou em 500% o número de casos, segundo a Secretaria do Meio Ambiente.


Fonte: Madeira Total / Adaptado por CeluloseOnline



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

23/10/2019 às 21:40

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1519 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey