Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


27/04/2015

Aquecimento tem relação com 75% dos dias de calor extremo, diz estudo

Mudança climática está ligada a 18% das tempestades brutais pelo planeta. Casos aumentam para 40% se termômetros subirem 2ºC até o fim de 2100.

Calor extremo pode aumentar com elevação dos níveis de gases-estufa (Foto: Leo Correa/AP)

O atual aumento da temperatura global, causado "muito provavelmente" pela ação humana, é responsável por algumas manifestações de clima extremo, segundo estudo publicado nesta segunda-feira (27) na revista britânica "Nature".

A pesquisa, do Instituto de Ciências Atmosféricas e Climáticas da universidade ETH Zurique, sustenta que 75% das temperaturas extremas registradas ao redor do planeta são consequências do aquecimento global.

De acordo com a investigação, o fenômeno teria relação com 18% das tempestades brutais que já atingem as regiões da Terra. O percentual pode aumentar para 40% caso os termômetros subam 2ºC em relação aos níveis pré-industriais.

"A mudança climática se refere não só às mudanças no clima médio, mas também no tempo extremo. O estudo demonstrou que existe contribuição humana na ocorrência de poucas ondas de calor proeminentes e fortes precipitações", diz a investigação.

Mundo 'com e sem emissões'
Erich Fischer e Desafio Knutti, responsáveis pela pesquisa, recorreram ao uso de "dois parâmetros métricos" para determinar o grau de incidência humana nas variações de chuvas e temperaturas. A essas equações foram aplicados dados diários de 25 modelos climáticos, que consideraram simulações históricas do período entre 1901-2005 e das projeções para 2006-2100 (cenário de altas emissões).

Eles simularam um mundo sem emissões de gases de efeito estufa e um planeta com os atuais níveis de gases. No primeiro caso, os dias quentes aconteciam uma vez a cada três anos. No segundo, essa comparação aumenta para quatro dias a cada três anos, sendo que três deles têm relação com a ação humana. 

A partir dessas informações, eles calcularam a influência humana no aumento da temperatura. Na África e na América do Sul, 89% e 88% dos dias quentes incomuns, respectivamente, são atribuídos aos homens. Na Europa, o índice cai para 63%. Na América do Norte, o estudo sugere que 67% dos dias quentes têm essa relação.

Ainda segundo o estudo, se as emissões continuarem no ritmo atual, até o fim do século todos os continentes terão eventos extremos com índice de “culpa” em 93%.


Fonte: G1, em São Paulo



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

21/10/2019 às 14:43

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1452 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey