Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


15/08/2015

Desmatamento na Amazônia Legal cai 82% em 10 anos, diz governo

Área desmatada de 27.772 km² entre 2003 e 2004 passou para 5.012 km². De 2013 para 2014, taxa caiu 15% em mapeamento consolidado.

A taxa anual de desmatamento na área da Amazônia Legal – que abrange os estados do Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins – caiu 82% nos últimos 10 anos, informaram nesta sexta-feira (14) os ministérios da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente.

Se entre agosto de 2003 e julho de 2004, uma área de 27.772 km² foi desmatada, no mesmo período de 2013 para 2014, foram 5.012 km², conforme o mapeamento consolidado do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes), sistema oficial de medição que analisa 214 imagens de satélite.

A área desmatada de 2013 para 2014 representa uma queda de 15% em relação ao ano anterior, quando foram suprimidos 5.891 km². A medição é feita entre os meses de agosto e julho porque compreende o chamado "calendário do desmatamento", relacionado com as chuvas e atividades agrícolas.

Dentro da série histórica de mapeamento, realizada desde 1988, o ano de 2004 registrou a segunda maior alta nas taxas de desmatamento da Amazônia Legal, só menor que em 1995, quando foi desmatada área de 29.059 km².

A alta de 2004 levou o governo a lançar, naquele ano, o Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm), que envolveu a criação de áreas de proteção e posteriormente reforço na fiscalização e combate a desmates ilegais.

Ao falar sobre o período mais recente, 2014-2015, ainda não analisado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse que a expectativa é de continuidade da redução da taxa de desmatamento.

“As expectativas que eu tenho de campo do Ibama é que continuamos a ter muita degradação, e temos áreas com incremento de alertas. Mas a fiscalização não relatou expectativa de crescimento do desmatamento. Mas é tudo especulação, e eu não trabalho com especulação, trabalho com dados que o Inpe vai tornar disponível”, disse.

A legislação brasileira sobre mudança do clima determina que até 2020 a taxa anual de desmatamento chegue no máximo a 3.915 km² na Amazônia Legal. “Pode chegar no ano que vem, é desejável. Eu tenho que manter ou reduzir mais ainda, porque parte dessa taxa tem desmatamentos ilegais. Eu estou trabalhando para atingir antes”, afirmou Izabella Teixeira.

Nos próximos anos, o governo também espera poder calcular o quanto vem sendo reflorestado, especialmente da recomposição de áreas devastadas exigida pelo Código Florestal, aprovado em 2012.

Estados
Na última década, os estados que mais reduziram a taxa de desmatamento foram Mato Grosso (-91%), Rondônia (-82%) e Pará (-79%). Os que menos reduziram foram Acre (-58%), Amapá (-33%) e Roraima (-30%). No último período analisado (2013-2014), estes estados foram os únicos que registraram aumento da área desmatada.

Ao apresentar os dados, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, explicou que, no Acre, por exemplo, o maior desmatamento se dá em pequenas áreas agrícolas legalmente, dentro do limite permitido pelo Código Florestal (20% da propriedade).

“Segundo tem o fenômeno dos assentamentos rurais, de reforma agrária, que retira floresta em área autorizada de uso. Terceiro, tem uma demanda de populações tradicionais para gado e agricultura de subsistência. Também tem ocupação urbana, expansão de cidades”, disse a ministra. “Roraima e Amapá são estados que estão aumentando a população por imigração”, completou depois o coordenador do programa Amazônia do Inpe, Dalton Valeriano.



Fonte: Do G1, em Brasília



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

19/07/2019 às 07:44

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1451 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey