Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


07/12/2015

Programa de Proteção de Nascentes do Senar cadastra 250 mananciais

Em Mato Grosso do Sul, o Sistema Famasul e o Senar/MS promoveram uma força tarefa para divulgar a iniciativa que envolveu 13 sindicatos rurais

O plantio de florestas é fundamental para a manutenção das nascentes

Sindicatos Rurais e produtores de todo país interessados em participar do concurso promovido pela CNA – Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil e pelo Senar – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, têm até sábado, 5, para aderir ao programa de Proteção de Nascentes, que tem como objetivo proteger mananciais localizados nas propriedades rurais de todo território nacional.

No total, aproximadamente 250 nascentes foram cadastradas, atendendo os cinco passos que necessitam ser cumpridos pelos produtores participantes: identificar, cercar e limpar a nascente, controlar a erosão e replantar espécies nativas. Serão contemplados os sindicatos rurais e a regional do Senar com maior número de nascedouros registrados.

Em Mato Grosso do Sul, o Sistema Famasul e o Senar/MS promoveram uma força tarefa para divulgar a iniciativa que envolveu 13 sindicatos rurais, localizados nos seguintes municípios: Bonito, Camapuã, São Gabriel do Oeste, Bela Vista, Paranaíba, Caracol, Terenos, Campo Grande, Três Lagoas, Dourados, Figueirão, Santa Rita do Pardo e Laguna Carapã.

Destaque na região sul do Estado, o município de Bela Vista contabilizou 49 nascentes cadastradas, sendo responsável por 19,2% de todos mananciais registrados pelo programa. O mobilizador do sindicato rural, Elvio Ferreira Rodrigues, ressalta que foi gratificante desenvolver o trabalho já que a maior parte dos produtores da região aprovou a ideia. “A maioria dos proprietários que visitei já cercava as minas d’água, como forma de preservação. Meu trabalho foi explicar o objetivo do programa e apresentar os passos de proteção, pois, contei com a colaboração de todos com quem conversei”, pontua.

O produtor Flávio Garibaldi, da fazenda Boy Jagua, cadastrou três nascentes na propriedade dedicada à pecuária de corte. Ele conta que desde cedo aprendeu com o genitor a proteger o meio ambiente a sua volta. “Em nossa propriedade meu pai sempre teve a preocupação de cuidar dos mananciais e ensinava isso para os filhos. Por isso, quando o Elvio conversou comigo já tinha cumprido quase todos os passos, só faltava cercar. Acredito que temos de pensar no futuro dos nossos descendentes e não somente no presente”, argumenta.

Para Rodrigues, a iniciativa do Senar/MS foi excelente e deve ter continuidade, mesmo com o encerramento do concurso. “Encontrei um cenário positivo aqui na região, com produtores que aprovaram e aderiram a um projeto de sustentabilidade local. Pretendemos dar continuidade ao programa, por entender sua importância para toda população”, conclui.

Na avaliação do superintendente do Senar/MS, Rogério Beretta, o programa de Proteção de Nascentes comprova a responsabilidade do setor produtivo rural. “A iniciativa demonstra que é possível produzir com sustentabilidade e preservação do meio ambiente. Por isso queremos agradecer a confiança e apoio dos produtores que se empenharam, já que em algumas propriedades rurais foram identificadas até cinco nascentes”, explica.

Informações adicionais – Conheça mais sobre o programa de Proteção de Nascentes no link: http://protecaonascentes.strikingly.com/

Sobre o Sistema Famasul – O Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS) é um conjunto de entidades que dão suporte para o desenvolvimento sustentável do agronegócio e representam os interesses dos produtores rurais de Mato Grosso do Sul. É formado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Fundação Educacional para o Desenvolvimento Rural (Funar), Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/MS) e pelos sindicatos rurais do Estado.

O Sistema Famasul é uma das 27 entidades sindicais que integram a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Como representante do homem do campo, põe seu corpo técnico a serviço da competitividade da agropecuária, da segurança jurídica e da valorização do homem do campo. O produtor rural sustenta a cadeia do agronegócio, respondendo diretamente por 17% do PIB sul-mato-grossense.


Fonte: Sistema Famasul



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

07/12/2019 às 00:49

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1234 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey