Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 16

Warning: max() [function.max]: Array must contain at least one element in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 53

Warning: min() [function.min]: Array must contain at least one element in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 55
CIFlorestas>>Notícia>>Sorgo biomassa é aposta como fonte de energia renovável

Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


22/02/2016

Sorgo biomassa é aposta como fonte de energia renovável

Foto Reprodução
   Com a demanda em evolução, na faixa de 5% ao ano, as atenções se voltam para a busca de iniciativas para aumentar a capacidade de geração elétrica, diversificar fontes e diminuir a dependência de hidrelétricas. Neste cenário, a biomassa está ganhando espaço como fonte de energia renovável, principalmente em sistemas de cogeração (produção combinada de calor e eletricidade).
   Uma das opções é o sorgo biomassa, que apresenta qualidade para gerar energia com poder calorífico similar ao da cana, do eucalipto e do capim-elefante, segundo estudo da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). De modo geral, a biomassa também tem sido usada como fonte de energia industrial no local de produção, uma prática comum no Brasil em muitos setores, do processamento de bebidas e alimentos à secagem de grãos para armazenamento.
   Segundo o pesquisador Rafael Parrella, da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas, MG), o sorgo é um material mais econômico por fornecer muita massa num curto intervalo de tempo. “Chega a produzir 150 toneladas de matéria fresca por hectare, além de ser vigoroso e resistente a pragas e a doenças”, afirma.
   Parrella lembra que o sorgo biomassa é uma cultura é totalmente mecanizável. “Plantio, manejo cultural e colheita são feitos com uso de máquinas. Diferente da cana e do capim-elefante, que têm plantio com estacas, o sorgo biomassa é propagado por sementes, o que facilita a implantação das áreas”, comenta.
   O primeiro híbrido de sorgo biomassa, o BRS 716, desenvolvido pela Embrapa para a cogeração de energia por meio da queima de biomassa, foi lançado em 2014. “Apresenta alta produtividade, em média, de 120 a 150 toneladas de matéria fresca por hectare, tem ciclo curto, de seis meses, e porte entre cinco e seis metros de altura”, descreve Parrella. Segundo o pesquisador, o material possui boa sanidade, resistência ao acamamento e adaptação ampla a diferentes regiões do Brasil.
Palo alto
   Outra opção do mercado é o sorgo Palo Alto. “Acreditamos que matérias primas dedicadas e desenvolvidas especialmente para atender à demanda das indústrias desempenharão um papel fundamental na viabilização do desenvolvimento destas no mercado. O Sorgo Palo Alto no Brasil e um exemplo”, afirma Anna Rath, CEO da Nexsteppe.
   De acordo com Anna, o sorgo Palo Alto é resistente e está bem adaptado ao Tocantins e a outras regiões com as mesmas condições de clima e características geográficas. Uma das vantagens é que pode ser utilizado como complemento ao cavaco de madeira e ao bagaço da cana-de-açúcar, ou seja, a indústria pode elaborar um mix de produtos a fim de atender à demanda de biomassa diária.
   “Já o agricultor, tem uma alternativa tanto para períodos de safra como de safrinha, contando com materiais que auxiliam na rotação de culturas da propriedade e diversificando as atividades.”
   Além disto, é uma biomassa dedicada, ou seja, não é um resíduo e, portanto, tem a garantia de que será plantado e colhido para a geração de energia. “Isso permite o planejamento ao assegurar ao mercado de biocombustão uma matéria-prima alta qualidade com preços controlados. Para o produtor é uma ótima fonte de renda adicional ao milho e soja com preço pré-fixado anteriormente ao plantio”, afirma Anna.
  De acordo com a Embrapa, o poder calorífico do sorgo é menor do que o da lenha de reflorestamento, que chega a atingir 4.500 kcal/kg. No entanto, o eucalipto cultivado para uso da biomassa demora de três a quatro anos para ser cortado, enquanto sorgo é colhido entre cinco a oito meses após o plantio, dependendo da região. Além disto, a produtividade do sorgo pode ser superior à do eucalipto. Pesquisas realizadas na Embrapa Milho e Sorgo demonstram a produção de até 60 toneladas de matéria seca por hectare.


Fonte: Celulose Online



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

17/10/2019 às 17:54

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1631 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey