Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


28/08/2017

País promove ações sustentáveis na siderurgia

Chamada pública apoiará tecnologias sustentáveis para o setor. Curso realizado em MG forma produtores de carvão vegetal usado em siderúrgicas.


Diversas medidas brasileiras garantirão a sustentabilidade na siderurgia. Foram prorrogadas até 15 de setembro as inscrições para a chamada pública que apoiará tecnologias sustentáveis para a produção e uso do carvão vegetal. Além disso, na última semana, produtores do insumo foram capacitados em Belo Horizonte (MG) para tornar o setor mais eficiente. As ações fazem parte do Projeto Siderurgia Sustentável, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA).
 
 
Acesse o edital (Processo Nº: JOF – 0191/2017)

Instituições públicas ou privadas de setores como o de ferro-gusa e aço poderão se candidatar para participar do “Mecanismo de Apoio ao Desenvolvimento, Melhoria e Demonstração de Tecnologias Sustentáveis de Produção e Uso de Carvão Vegetal na Indústria Siderúrgica”, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O edital também é destinado a entidades de produção de carvão vegetal e de seus coprodutos.

Com o Mecanismo de Apoio, o Projeto Siderurgia Sustentável busca alcançar uma redução mínima de emissão de gases de efeito estufa de 270 kg CO2e/tonelada de carvão vegetal produzido, além de catalisar, no mínimo, uma capacidade produtiva de 80 mil toneladas de carvão vegetal ao ano com o uso de tecnologias e processos sustentáveis.

MULTIPLICADORES

Pequenos e médios produtores de carvão vegetal em Minas Gerais participaram, na semana passada, da primeira capacitação de multiplicadores do setor. O curso buscou formar instrutores capazes de disseminar conhecimento em processos e tecnologias de produção sustentável adequadas ao produtor independente de carvão vegetal, mais eficientes dos pontos de vista ambiental, social e também econômico.

A capacitação, promovida pelo Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa (UFV), abordou o sistema forno-fornalha desenvolvido pela instituição e outros temas como qualidade da madeira, controle da temperatura dos fornos e tecnologias para queima dos gases da carbonização, que incluem os gases de efeito estufa. Os multiplicadores também aprenderam a avaliar a qualidade do carvão e conheceram formas de aproveitar resíduos de carvão vegetal para melhorar a viabilidade do negócio.

No Brasil, o carvão vegetal destina-se quase que exclusivamente ao setor siderúrgico, onde serve de fonte de energia e também insumo para a produção de ferro-gusa, aço e ferroligas. De acordo com o PNUD, o Projeto Siderurgia Sustentável trabalha o fortalecimento tanto da base tecnológica, com apoio à pesquisa e à inovação, como da capacitação dos produtores para a produção sustentável de carvão vegetal proveniente de florestas plantadas.

O treinamento faz parte da parceria entre PNUD e UFV, que conta ainda com a participação da Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (FAEMG), por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Sebrae Minas Gerais e  Universidade Federal de Lavras (UFLA). O Governo de Minas Gerais também apoia a atividade, com a participação da Emater e Polo de Excelência em Floresta.

O PROJETO
Coordenado pelo MMA, o Projeto Siderurgia Sustentável busca diminuir as emissões de gases de efeito estufa na siderurgia brasileira (produção de ferro-gusa, aço e ferroligas). O foco da iniciativa é a implementação de um arcabouço político favorável à produção de carvão vegetal limpa, eficiente e efetivamente utilizado pelo setor siderúrgico. Também prevê o fortalecimento da base tecnológica e da capacidade humana e a criação de um mecanismo de apoio a novos investimentos baseado no monitoramento de desempenho.

O Projeto é executado com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e do Governo de Minas Gerais. Conta, ainda, com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).


Fonte: Ministério do Meio Ambiente



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

22/09/2017 às 14:10

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


158 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey