Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


18/03/2011

Análise da Competitividade e dos Preços da Celulose e da Madeira de Eucalipto no Brasil

O trabalho de tese de doutorado em Ciências Florestais da Universidade Federal de Viçosa realizado pela professora Naisy Silva Soares, da Universidade Estadual de Santa Cruz, analisou a competitividade da produção de celulose em diferentes regiões do Brasil: Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Bahia; e da madeira de eucalipto em diferentes sistemas de colheita florestal. Além disso, foram analisados os preços da celulose e da madeira de eucalipto.

O segmento de celulose e papel é o que mais se destaca no setor florestal e um dos mais bem-sucedidos da economia brasileira em termos de geração de emprego e renda, impostos e divisas. Entretanto a expansão do segmento de celulose e papel está sujeita à concorrência internacional e à falta de políticas adequadas para o seu desenvolvimento e do seu principal insumo de produção: a madeira de eucalipto.

O trabalho de tese de doutorado em Ciências Florestais da Universidade Federal de Viçosa realizado pela professora Naisy Silva Soares, da Universidade Estadual de Santa Cruz, analisou a competitividade da produção de celulose em diferentes regiões do Brasil: Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Bahia; e da madeira de eucalipto em diferentes sistemas de colheita florestal. Além disso, foram analisados os preços da celulose e da madeira de eucalipto.

A competitividade foi analisada utilizando-se a Matriz de Análise Política (MAP) verificando-se o efeito das políticas públicas na produção da celulose e da madeira de eucalipto, bem como na competitividade. A análise dos preços, baseada em modelos econométricos, investigou a relação entre os preços internos e externos no mercado de celulose, buscando testar se a lei do preço único é válida nesse mercado. No caso dos preços da madeira, essa análise foi feita para o mercado de São Paulo. Consideraram-se as regiões de Itapeva e Bauru para a análise da relação entre os preços da madeira em pé e as regiões de Sorocaba, Bauru e Marília para a análise da relação entre os preços da madeira serrada. Um modelo de previsão de preços para celulose e para a madeira de eucalipto foi estimado por meio da metodologia de Box e Jenkins.

Concluiu-se que a indústria da celulose naqueles estados e da madeira de eucalipto nos diferentes sistemas de produção avaliados vem sofrendo com a implantação de políticas públicas equivocadas, mas mesmo assim, quando comparados aos concorrentes externos, constituem um segmento lucrativo e competitivo, devido aos altos índices de produtividade e aos menores custos de produção da madeira no Brasil.

 Um grande percentual das variações nos preços da celulose nos Estados Unidos foi transmitido para o mercado doméstico brasileiro, no longo prazo, mas esses mercados não são perfeitamente integrados, isto é, a Lei do Preço Único não foi perfeitamente verificada para o mercado da celulose.

O mercado da madeira em pé apresentou-se independente e o da madeira serrada integrado, uma vez que ocorreu transmissão de preços, no longo prazo, no período considerado, ou seja, o mercado da madeira serrada é eficiente nas regiões sob análise.

Segundo o professor Márcio Lopes da Silva, do Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa, orientador da pesquisa, estudos deste tipo fornecem subsídios para a formulação de políticas públicas, planejamento da produção, comercialização e previsão, por isso são muito importantes quando se pensa em obter ganhos de competitividade e expansão do segmento.

Para ter acesso ao trabalho completo, clique aqui.


Fonte: Cleverson de Mello Sant’Anna, em 18/03/2011



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (2)


ANTONIO BIFON disse:

06/11/2011 às 10:04

quero por favor saber o preço do eucalipto, e se é na arvore ou não, e se tem classificacâo de preço por distancia da industria e,por variedade.


objetivo é possivel investimento na area.

obrigado pela atençâo

reinaldo de souza da silva disse:

17/08/2011 às 22:54

por favor nos ajude e projeto de faculdade

Novidades do Site

ANÁLISE CONJUNTURAL: Quadro político instável adia reformas, mas há expectativas de melhorias para os negócios florestais. Saiba mais  clicando aqui.
 
Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

Uma meta, sem um plano para chegar lá, nada mais é do que um simples desejo.
Antoine de Saint-Exupery

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


4540 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey