POLO DE EXCELÊNCIA EM FLORESTAS
CIFlorestas
Facebook Twitter RSS
Buscar:  

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


18/03/2011

Análise da Competitividade e dos Preços da Celulose e da Madeira de Eucalipto no Brasil

O trabalho de tese de doutorado em Ciências Florestais da Universidade Federal de Viçosa realizado pela professora Naisy Silva Soares, da Universidade Estadual de Santa Cruz, analisou a competitividade da produção de celulose em diferentes regiões do Brasil: Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Bahia; e da madeira de eucalipto em diferentes sistemas de colheita florestal. Além disso, foram analisados os preços da celulose e da madeira de eucalipto.

O segmento de celulose e papel é o que mais se destaca no setor florestal e um dos mais bem-sucedidos da economia brasileira em termos de geração de emprego e renda, impostos e divisas. Entretanto a expansão do segmento de celulose e papel está sujeita à concorrência internacional e à falta de políticas adequadas para o seu desenvolvimento e do seu principal insumo de produção: a madeira de eucalipto.

O trabalho de tese de doutorado em Ciências Florestais da Universidade Federal de Viçosa realizado pela professora Naisy Silva Soares, da Universidade Estadual de Santa Cruz, analisou a competitividade da produção de celulose em diferentes regiões do Brasil: Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Bahia; e da madeira de eucalipto em diferentes sistemas de colheita florestal. Além disso, foram analisados os preços da celulose e da madeira de eucalipto.

A competitividade foi analisada utilizando-se a Matriz de Análise Política (MAP) verificando-se o efeito das políticas públicas na produção da celulose e da madeira de eucalipto, bem como na competitividade. A análise dos preços, baseada em modelos econométricos, investigou a relação entre os preços internos e externos no mercado de celulose, buscando testar se a lei do preço único é válida nesse mercado. No caso dos preços da madeira, essa análise foi feita para o mercado de São Paulo. Consideraram-se as regiões de Itapeva e Bauru para a análise da relação entre os preços da madeira em pé e as regiões de Sorocaba, Bauru e Marília para a análise da relação entre os preços da madeira serrada. Um modelo de previsão de preços para celulose e para a madeira de eucalipto foi estimado por meio da metodologia de Box e Jenkins.

Concluiu-se que a indústria da celulose naqueles estados e da madeira de eucalipto nos diferentes sistemas de produção avaliados vem sofrendo com a implantação de políticas públicas equivocadas, mas mesmo assim, quando comparados aos concorrentes externos, constituem um segmento lucrativo e competitivo, devido aos altos índices de produtividade e aos menores custos de produção da madeira no Brasil.

 Um grande percentual das variações nos preços da celulose nos Estados Unidos foi transmitido para o mercado doméstico brasileiro, no longo prazo, mas esses mercados não são perfeitamente integrados, isto é, a Lei do Preço Único não foi perfeitamente verificada para o mercado da celulose.

O mercado da madeira em pé apresentou-se independente e o da madeira serrada integrado, uma vez que ocorreu transmissão de preços, no longo prazo, no período considerado, ou seja, o mercado da madeira serrada é eficiente nas regiões sob análise.

Segundo o professor Márcio Lopes da Silva, do Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa, orientador da pesquisa, estudos deste tipo fornecem subsídios para a formulação de políticas públicas, planejamento da produção, comercialização e previsão, por isso são muito importantes quando se pensa em obter ganhos de competitividade e expansão do segmento.

Para ter acesso ao trabalho completo, clique aqui.


Fonte: Cleverson de Mello Sant’Anna, em 18/03/2011



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome:
Email: (não aparecerá no site)




Comentário(s) (2)


ANTONIO BIFON disse:

06/11/2011 às 10:04

quero por favor saber o preço do eucalipto, e se é na arvore ou não, e se tem classificacâo de preço por distancia da industria e,por variedade.


objetivo é possivel investimento na area.

obrigado pela atençâo

reinaldo de souza da silva disse:

17/08/2011 às 22:54

por favor nos ajude e projeto de faculdade

Publicidade






3674 visitas nesta página

Publicidade
Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTA  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey