Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 16

Warning: max() [function.max]: Array must contain at least one element in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 53

Warning: min() [function.min]: Array must contain at least one element in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 55
CIFlorestas>>Avanço e Pesquisa>>Captura de CO2 é adaptada em usina francesa

Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


16/04/2009

Captura de CO2 é adaptada em usina francesa

O país colocará em funcionamento neste mês o primeiro sistema de captura e armazenamento de carbono (CCS) instalado em uma termelétrica de larga escala, sinalizando que o uso da tecnologia está mais próximo de se tornar viável

Em um projeto de € 60 milhões, a companhia Total Gas &Power aperfeiçoou uma termelétrica localizada na vila de Lacq, na França, para capturar e armazenar 60 mil toneladas de dióxido de carbono por ano, tornando-se a primeira usina de larga escala já em funcionamento a ser adaptada para a tecnologia de CCS.

Essa tecnologia é vista, por alguns especialistas, como fundamental no período de transição entre os combustíveis fósseis e as energias renováveis. Eles também afirmam que a redução de emissões de países como a China, EUA e Inglaterra, que ainda usam muito carvão, depende do desenvolvimento do CCS.

A termelétrica de Lacq vai utilizar um sistema já existente de tubulações para conduzir o CO2 até um dos maiores campos de gás natural da Europa, hoje praticamente vazio, em Rousse, também na França. O projeto será mantido por dois anos, quando haverá uma pausa para que engenheiros possam estudar as conseqüências do armazenamento do gás no campo a 4,5 mil metros de profundidade.

Segundo Philippe Paelinck, um dos engenheiros responsáveis pela construção do equipamento de CCS em Lacq, o projeto é um importante marco. “Nós provamos que é possível adaptar uma usina para essa tecnologia a custos acessíveis. Também será a primeira vez que um esquema de armazenamento de CO2 utiliza uma rede de tubos já existente”, contou o engenheiro para o jornal britânico The Guardian

A tecnologia adotada pelos franceses utiliza a queima do combustível fóssil em uma atmosfera rica em oxigênio, processo chamado oxicombustão. Os gases resultantes são compostos quase que exclusivamente por CO2 e vapor de água, que podem ser facilmente separados e armazenados.

“Agora precisamos dominar completamente essa nova tecnologia”, disse o coordenador de mudanças climáticas da Total, Luc de Marliave. “A oxicombustão nunca havia sido testada a esta escala e ainda mais de forma integrada a um esquema de CCS”.

A escolha por esse método de queima por oxicombustão teria sido feita para diminuir os custos. “Com esse modelo podemos reduzir os gastos com a captura do CO2, que é a maior parte do custo do CCS. Normalmente o valor dessa captura seria de algo como € 70 por tonelada, já utilizando a oxicombustão isso cai para € 35 euros por tonelada”, revela Marliave.

Mundo

Outros países também já demonstraram claro interesse no desenvolvimento de projetos de armazenamento de carbono.  China e EUA estão investindo pesado, já que muito de sua base energética depende do uso do carvão.

O governo chinês está para lançar seu primeiro experimento de CCS, orçado em mais de US$ 3,5 bilhões e localizado numa usina na Mongólia. Com uma nova termelétrica alimentada a carvão sendo construída a cada semana no país, que se consolida como o maior poluidor mundial, é vital que o gigante asiático encontre maneiras de conciliar seu crescimento econômico com menores emissões.

Já os Estados Unidos largaram atrás na corrida de projetos em larga escala de captura e armazenamento de CO2, em muito por responsabilidade da administração Bush que cancelou o orçamento para essa tecnologia. Agora, o Secretário de Energia do governo Obama, Steven Chu, já afirmou que vai rever essa política.

Enquanto isso, a gigante da agricultura Archer Daniels Midland está começando a testar um projeto de armazenar CO2 emitido por moinhos de milho em uma formação de rocha a dois mil metros de profundidade.  Para realizar a experiência, a empresa conseguiu um apoio de US$ 66,7 milhões do Departamento de Energia dos EUA.

Planos de financiamento governamental para o CCS na Europa têm se movido devagar, mas começaram a mostrar sinais de avanço. A União Européia quer 12 usinas de demonstração em operação na próxima década e reservou 300 milhões de créditos de carbono para ajudar o desenvolvimento da tecnologia. Já em janeiro de 2009, a comissão européia propôs €1,25 bilhões para o início do CCS em 11 usinas movidas a carvão no continente.


Fonte: Carbono Brasil



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

19/07/2018 às 18:24

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2411 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey