Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


06/03/2013

Programa pretende elevar produção de borracha da Bahia e tornar Estado autossuficiente

Serão investidos R$ 1,6 bi de 2014 a 2040; meta é crescer produção de 17 mil toneladas para 146 mil toneladas ao ano.

Na ultima segunda-feira, a Secretaria de Agricultura do Estado da Bahia (Seagri) vai lançou o Programa de Desenvolvimento do Setor da Borracha Natural (Prodebon), com o apoio técnico da Comissão Executiva do Plano de Lavoura Cacaueira (Ceplac) e parceira da cadeia produtiva da borracha. O objetivo é que o Estado atinja a autossuficiência em borracha natural com o aumento da produção e melhoria da qualidade. 

A Bahia é hoje o terceiro produtor brasileiro de borracha natural, com terceira maior área plantada de seringueira do país. Com o desenvolvimento do programa, pretende-se elevar a produção de 17 mil toneladas de borracha seca em 2011 para 146 mil toneladas em 2040. Além disso, o programa visa aumentar também a renda da produção de borracha, no setor primário, subindo dos atuais R$ 101,8 milhões para R$ 863,2 por volta de 2040, quando todas as áreas estiverem com a produção estabilizada.Nas agroindústrias espera-se a evolução de R$ 138,3 milhões por ano para 1,17 bilhão no mesmo período. 

Para isso, serão implantados 100 mil hectares de seringueira em sistemas agroflorestais entre 2013 e 2031, contando com um investimento de R$ 1,6 bilhão durante o período. Do total dos recursos, R$ 250 milhões estão sendo destinados ao plantio de 25 mil hectares de seringueira em substituição a eritrina na modernização de plantios e cacau. Outros R$ 1,35 bilhão serão para o plantio simultâneo de 75 mil hectares de sistemas agroflorestais com seringueira, cacau e outros cultivos. 

O programa prevê beneficiar 18 mil agricultores familiares e 3 mil propriedades rurais, distribuídas em sete Territórios de Identidade: Agreste Alagoinhas/Litoral Norte, Baixo Sul, Extremo Sul, Litoral Sul, Médio Rio das Contas, Recôncavo e Vale do Jiquiriçá. Também serão beneficiados os médios e grandes agricultores organizados em associações e cooperativas e produtores individuais interessados em investir na heveicultura.


Fonte: GLOBO RURAL ON-LINE



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

23/10/2019 às 21:04

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1628 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey