Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


07/05/2013

Produção Agropecuária e Florestal do Estado de SP supera R$ 60 bilhões em 2012

Entre os cinco produtos líderes no ranking está a madeira de eucalipto

Foto: Google

As safras dos produtos agropecuários no Estado de São Paulo em 2011/12  foram, quase em sua totalidade, beneficiadas por condições climáticas favoráveis nas principais regiões produtoras, com o segmento de grãos apresentando aumento de produção, em decorrência de expansão da área e de incremento da produtividade, de acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo. Apenas o segmento de frutas frescas apresentou queda da produção. Ao contrário de 2011, a produção de cana-de-açúcar, aumentou no ano passado, devido à expansão da área e ao aumento da produtividade. No caso do café, houve aumento da produção, com a safra na fase de bienalidade positiva, revertendo a situação da safra de 2011.

O Valor Final da Produção Agropecuária e Florestal (VPAF) do Estado de São Paulo, em 2012, foi de R$ 61,5 bilhões, afirmam os pesquisadores Alfredo Tsunechiro, Paulo José Coelho, Denise Viani Caser, Carlos Roberto Ferreira Bueno, Eduardo Pires Castanho Filho, Danton Leonel de Camargo Bini e Eder Pinatti, responsáveis pelo estudo. Dos 53 produtos componentes do quadro do VPAF, 35 apresentaram aumento do preço médio e 18 sofreram queda, em relação ao ano precedente.

As principais fontes de crescimento do VPAF foram os grupos de grãos e fibras e de olerícolas, cujos valores aumentaram 26,6% e 27,8%, respectivamente. Outro grupo que também cresceu foi o dos produtos animais, com aumento de 9,9% no valor da produção. Os valores da produção dos demais grupos de produtos sofreram quedas, sendo mais acentuada no grupo das frutas frescas, que apresentou redução de preço e da produção.

Os resultados finais de 2012 revelam que, dentre os cinco produtos líderes no ranking do VPAF (cana-de-açúcar, carne bovina, madeira de eucalipto, carne de frango e laranja para indústria), que representam 71,1% do valor total, há troca de posição entre o quarto e o quinto produto. Para o café, diferentemente do ocorrido em 2011, não obstante a queda do preço, em 19,8%, o aumento da produção de 36,7% (por conta da bienalidade positiva) em 2012 manteve o produto na sexta posição na lista do valor.

Os produtos que mais sobem no ranking são: cebola, tomate para indústria, batata e mandioca para mesa, repolho e caqui. Por outro lado, alguns produtos, perdem posições, como a resina de pínus, manga e goiaba para mesa, laranja para mesa e abacaxi. Os produtos que apresentam as maiores quedas de valor da produção foram: laranja para mesa, resina de pínus e manga.

O valor da produção da cana-de-açúcar, principal produto da agropecuária paulista, cresce 4,5% em 2012, diferentemente dos últimos três anos, devido aos aumentos da área colhida e da produção, dado que o preço decresce, em valor corrente. A participação da cana-de-açúcar no valor da produção agropecuária e florestal total do Estado permanece estável (44,2% em 2011 e 44,7% em 2012).

Em termos absolutos a laranja para indústria e a laranja para mesa foram os produtos que apresentaram as maiores perdas no período analisado, com quedas de 34,5% e 46,3%, respectivamente, dos preços e de 7,7% da produção. Como decorrência, a receita bruta da laranja para indústria cai R$ 1,5 bilhão e a da laranja para mesa, R$ 500 milhões em 2012. Foi um ano crítico para essa atividade, com problemas de safra, envolvendo maior incidência de doenças na cultura, erradicação de pomares, ocorrência de adversidades climáticas, e de mercado, com desequilíbrio entre oferta e demanda de produto, nos mercados interno e externo.


Fonte: Celulose Online



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

01/06/2020 às 03:14

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1498 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey