Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


08/05/2013

Nova política nacional integra lavoura, pecuária e floresta

O Brasil já tem sua Política Nacional de Integração Lavoura, Pecuária e Floresta, que começará a vigorar em seis meses

A integração lavoura, pecuária e floresta vai predominar

O Brasil já tem sua Política Nacional de Integração Lavoura, Pecuária e Floresta, que começará a vigorar em seis meses. Projeto que institui a nova política foi sancionado esta semana pela presidente Dilma Rousseff, para incentivar não só a produtividade rural, como também a educação ambiental e a preservação do meio ambiente.

Trata-se de uma tecnologia nova e consensual que começou a ser discutida seis anos atrás, a partir de uma proposta tímida que não expressava as reais relevância e amplitude do tema. O debate no Congresso proporcionou o amadurecimento do assunto e permitiu ir muito além da ideia inicial de estender incentivos especiais, previstos na política agrícola, a produtores que adotassem técnicas de integração entre lavoura e pecuária.

Um dos objetivos da integração é incentivar a produtividade e a rentabilidade de atividades agropecuárias em áreas já desmatadas, substituindo as monoculturas tradicionais por sistemas que agreguem cultivos agrícolas à criação de animais e exploração de espécies florestais. Entre os incentivos previstos ao produtor que adotar a técnica da integrar culturas estão a prioridade na obtenção de empréstimos e benefícios associados a programas de infraestrutura rural.

Esta política também visa a garantir apoio à recuperação de pastagens degradadas e a estimular a pesquisa de atividades que promovam essa integração. Tudo isto sem esquecer a educação ambiental nos diversos níveis escolares e também para agentes do agronegócio.

Em resumo, a nova política compõe alternativas de manejo sustentável da terra, mostrando que existem opções das quais o campo já está fazendo uso. Mais: deixa claro que o agricultor faz a parte dele, procurando desenvolver práticas sustentáveis.

Foi precisamente o reforço do sucesso da tecnologia aplicada que fez com que a proposta agregasse mais e mais adeptos ao longo do tempo, até que se chegou ao consenso para sua aprovação. Hoje, o conceito ambiental saiu do discurso e passou a integrar o dia a dia da atividade rural.


Fonte: CNA



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

30/10/2020 às 19:24

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1617 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey