POLO DE EXCELÊNCIA EM FLORESTAS
CIFlorestas
Facebook Twitter RSS
Buscar:  

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+

16/02/2014

Estudo analisa a UTILIZAÇÃO DE ADESIVOS TÂNICOS DE BARBATIMÃO EM PAINÉIS DE MADEIRA RECONSTITUÍDA

A pesquisa foi realizada com Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville, uma espécie do Cerrado conhecida popularmente como barbatimão, cuja principal utilização de valor econômico é a extração de taninos, encontrados nas suas cascas e folhas. O objetivo do trabalho, realizado na Universidade Federal de Lavras, pela mestre Amélia Carvalho¹ sob orientação do professor Fábio Akira Mori² foi avaliar a viabilidade técnica de utilização de adesivo à base de taninos provenientes das cascas de Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville, para a produção de painéis compensados, aglomerados e OSB (Oriented Strand Board). Foram produzidos adesivos à base de taninos extraídos das cascas de barbatimão, que foram misturados aos adesivos comerciais, ureia-formaldeído e fenol-formaldeído, nas proporções de 25; 50; e 75%. Os adesivos puros, assim como as misturas tiveram as propriedades dos adesivos determinadas. Posteriormente, foram produzidos painéis compensados com os adesivos: fenol-formaldeído, tanino-formaldeído e a mistura destes. Os painéis compensados foram produzidos com 5 lâminas cruzadas de pinus a uma gramatura de 360 g.m-² (linha dupla) utilizando uma pressão específica de 12 kgf.cm-², tempo de prensagem de 10 minutos e temperatura de 150°C. Também foram produzidos painéis aglomerados e painéis OSB, com os adesivos ureia-formaldeído, tanino-formaldeído e a mistura destes. Os painéis foram produzidos com suas respectivas partículas, geradas a partir da madeira de pinus, com um teor de adesivo de 8% a uma pressão de 40 kgf.cm-², um tempo e temperatura de prensagem de 8 minutos e 160°C, respectivamente. Observou-se um grande potencial de utilização dos taninos de barbatimão para produção de painéis compensados, inclusive sem que necessite da associação com o adesivo fenol-formaldeído. Os painéis aglomerados com até 50% de utilização de adesivo tânico de barbatimão se mostraram aptos para utilização, atendendo a todos os pré-requisitos estipulados pela norma de comercialização. A mistura dos adesivos tanino-formaldeído e ureia-formaldeído reagiram e sua viscosidade foi aumentada, devido a isso não foi possível aplica-la aos painéis OSB. Os painéis OSB produzidos apenas com o adesivo ureia-formaldeído e apenas com o adesivo a base de taninos de barbatimão atenderam a todos os pré-requisitos estipulados pela norma de comercialização. Fato que demonstra grande potencial de utilização dos taninos de barbatimão para produção de painéis OSB.
 
 
¹Amélia Guimarães Carvalho - Mestre em Ciência e Tecnologia da Madeira
²Fábio Akira Mori – Doutor em Ciências Florestais e Professor da Universidade Federal de Lavras
 
 
 


Fonte: Adriele Felix Lima - Graduanda em Engenharia Florestal - UFLA e Bolsista do Polo de Excelência em Florestas/ SECTES/FAPEMIG



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome:
Email: (não aparecerá no site)




Comentário(s) (1)


Roberto Maia disse:

28/02/2014 às 17:44

Olá, parabéns pela pesquisa, gostei da novas informações.

Um abraço

Roberto Maia
Técnico Florestal, se especializando em identificador botânico.

Publicidade






717 visitas nesta página

Publicidade
Publicidade
Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTA  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey