Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 16

Warning: max() [function.max]: Array must contain at least one element in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 53

Warning: min() [function.min]: Array must contain at least one element in /home/storage/7/ab/56/ciflorestas/public_html/controle/nuvemtags_gerar.php on line 55
CIFlorestas>>Notícia>>AIE aponta aumento da competitividade das renováveis

Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


24/11/2011

AIE aponta aumento da competitividade das renováveis

Agência Internacional de Energia destaca o rápido crescimento do uso das fontes alternativas e a queda dos custos na geração, porém salienta que os países ainda devem promover políticas de estímulo

 Agência Internacional de Energia destaca o rápido crescimento do uso das fontes alternativas e a queda dos custos na geração, porém salienta que os países ainda devem promover políticas de estímulo

As fontes renováveis são o setor de mais rápido crescimento no mix energético mundial e já respondem 19,3% da geração global de eletricidade, afirmou a Agência Internacional de Energia (AIE) nesta quarta-feira (24).
 
Um novo estudo da entidade, chamado “Deploying Renewables 2011: Best and Future Policy Practic” (algo como Implementando as Renováveis 2011: Melhores e Futuras Políticas Práticas), analisa o desenvolvimento recente das fontes alternativas assim como oferece sugestões de como os governos podem fortalecer e capitalizar o crescimento delas.
 
“O portfólio das tecnologias renováveis está ficando competitivo em uma velocidade cada vez maior e em circunstâncias mais comuns, sendo que em alguns casos fornece oportunidades de investimento sem a necessidade de apoio econômico governamental. Para fontes como eólica e solar, as reduções de custo devem continuar de forma ainda mais acelerada”, afirma o relatório.
 
A AIE destaca o exemplo dos projetos eólicos no Brasil, que vêm competindo com sucesso contra outras fontes de energia, incluindo o gás natural, na disputa por contratos de aquisição de energia. A China e outros países emergentes também vêm ganhando espaço como mercados promissores para as fontes alternativas.
 
De acordo com o relatório, o portfólio renovável não deve mais ser considerado uma opção de alto custo e arriscado, mas sim como um importante componente da segurança energética de países e empresas, pois geram eletricidade com grande estabilidade e com baixos custos de operação.
 
O setor renovável cresceu, como um todo, 17,8% entre 2005 e 2009, sendo que hidroelétricas seguem dominando com 84% da geração total. Porém, projetos de energia eólica e a solar são os que mais rapidamente vêm se multiplicando.
 
De 2005 a 2010, a geração de energia hidrelétrica aumentou 3,1% ao ano, a biomassa avançou 8,8%, a eólica 26,5% e a solar fotovoltaica 50,8%.
 
Apesar de reconhecer o grande avanço das fontes alternativas, a AIE acredita que seria preciso acelerar o ritmo de crescimento para que elas alcancem o objetivo de manter a concentração de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera em menos de 450 partículas por milhão (PPM) e assim evitar as piores consequências das mudanças climáticas. As eólicas deveriam crescer a uma taxa anual de 16,3% até 2020, a solar fotovoltaica a 21,3% e a hidrelétrica a 2,5%.
 
Subsídios
 
Mas nem tudo são boas notícias para as fontes renováveis. Recentemente, países como Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido anunciaram cortes nas ajudas públicas para o setor por causa da crise econômica que varre a Europa.
 
A AIE não considera uma boa estratégia a redução dos subsídios nesse momento, uma vez que o aumento no uso dos combustíveis fósseis, além de prejudicial no combate às mudanças climáticas, deve resultar na alta dos preços do petróleo e carvão, o que agravaria ainda mais a crise.
 
“Sem uma urgente transformação no direcionamento político, o mundo pode se ver preso a um sistema energético ineficiente, inseguro e de altas emissões”, afirmou Maria van der Hoeven, diretora executiva da AIE.
 
O relatório esclarece que enquanto as fontes alternativas não forem competitivas, o apoio governamental na forma de subsídios ou corte de impostos são desejáveis. Vale lembrar que atualmente US$ 409 bilhões estão sendo gastos anualmente ao redor do mundo para baratear os custos da produção e distribuição dos combustíveis fósseis.
 
“Os países devem estar focados em incentivar as energias renováveis como uma forma de garantir o desenvolvimento sustentável. Ainda mais dado o crescente apetite do planeta por energia e a necessidade de saciá-lo de uma forma eficiente e de baixo carbono. O tempo para a ação é agora e mais esforços são necessários”, alertou Maria.


Fonte: institutocarbonobrasil.org.br



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

17/10/2019 às 10:37

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1486 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey