Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


17/11/2010

Fabricantes e lojas de móveis investem em design e praticidade para atrair o cada vez mais exigente consumidor das classes C e D

O mobiliário, que até alguns anos atrás se resumia ao pouco que o mercado popular tinha a oferecer, agora é escolhido com critério.

A casa do brasileiro das classes C e D está mais bonita. O mobiliário, que até alguns anos atrás se resumia ao pouco que o mercado popular tinha a oferecer, agora é escolhido com critério. De olho nesse público, que nos últimos anos ganhou informação e viu aumentar seu poder de compra, as grandes redes passaram a facilitar o crédito e a investir pesado em móveis, que, se não competem em qualidade e tecnologia com o que de melhor existe na praça, pelo menos buscam se aproximar de um modelo mais bonito, copiando o design feito para as classes mais altas.

Seguro pelo crescimento da renda e pela possibilidade de longos parcelamentos, esse público quer ter o que ver na propaganda maciça. A cozinha tem de ser planejada. A linha branca, que, com a política do governo, ganhou preços mais acessíveis, enterrou de vez fogões e geladeiras azuis, beges e vermelhos. O jantar ganhou mesas mais leves, em que o vidro se impõe. O guarda-roupa deu lugar a armários com portas de correr e as camas box viraram mania e são vendidas até em redes de supermercado. Surgiram os home offices e os home theaters e até os banheiros planejados entraram na onda.
Uma das mais tradicionais marcas de móveis planejados do Brasil, a Dell Anno fabrica cozinhas, dormitórios, closets, home offices e banheiros. É a marca premium do Grupo Unicasa, que tem sede em Bento Gonçalves e existe há 25 anos. Há 14 anos o grupo decidiu ampliar seu leque de atuação e lançou a Favorita, voltada para a classe B. Há um ano e meio, criou a New para a classe C. O crescimento da nova marca é acelerado. A expectativa é que a New feche o ano com 380 lojas espalhadas pelo País, mais do que a Dell Ano (300) e a Favorita (370). O faturamento, que no ano passado foi de R$ 22 milhões, este ano deve passar para R$ 80 milhões.

O presidente do Grupo Unicasa, Frank Zietolie, acredita que esse público tinha um forte desejo por personalizar seus móveis, opção que não é oferecida nos magazines que esses consumidores costumam frequentar. "Buscamos aquilo que o consumidor da classe C desejava, mas não encontrava nas lojas voltadas para ele. As magazines costumam vender móveis com um jeito muito ‘pop’, com muitas cores. Nós oferecemos um produto mais moderno, com design e praticidade. Não é porque é direcionado para a classe C que o produto tem de ser econômico e feio."





Sofisticação. Gigante no setor de móveis populares, a Indústria Bartira, pertencente ao Grupo Casas Bahia, vem se empenhando em sofisticar sua linha. Este foi o segundo ano em que os profissionais da empresa estiveram no Salão do Móvel de Milão, na Itália, em busca de tendências internacionais e novidades com relação a design, tecnologia e fabricação de móveis.

Jonas Victor Vieira, diretor de Móveis da Casas Bahia, diz que hoje, para os consumidores das classes C e D, o design, a beleza e a modernidade são tão importantes quanto a qualidade e o preço atrativo. "Antes, o campeão de vendas nas lojas era um modelo de cozinha compacta, de três peças, cujo preço girava em torno de R$ 199. Hoje, a mais vendida é uma cozinha modulada, muito similar às cozinhas planejadas disponíveis no mercado, cujo preço gira em torno de R$ 699. Este modelo tem trava de aço nas cantoneiras, puxadores, pistão a gás e verniz UV, que não deixa o produto se desgastar sob a ação de limpeza ou de sua exposição ao sol. Isso é um exemplo prático das exigências dos consumidores das classes mais populares que procuram produtos maiores, mais bonitos e de qualidade", diz.

Oferecer produtos de maior qualidade tem sido mesmo fundamental para uma empresa se destacar num

mercado em que a concorrência é cada vez maior. O arquiteto Daniel Camera, sócio do Projeto 3, estúdio de design de Bento Gonçalves - o maior polo moveleiro do País, com 370 fábricas -, trabalha para oito grandes empresas, todas com foco no mobiliário popular. A Projeto 3 planeja cozinhas, dormitórios modulados, racks e móveis para escritório. Há anos no setor, ele diz que nunca viu tanta competitividade. "Hoje, quem quer fornecer para grandes redes tem de ter o melhor maquinário, trabalhar com bons profissionais do desenho industrial e fazer um móvel ao mesmo tempo prático, com boa ergonomia e bom preço", afirma.

Sofás, no entanto, ainda são um caso à parte, segundo Camera. Ele acredita que os modelos com muita espuma, braços grandes e arredondados, encosto mais alto e costuras ainda são clássicos para as classes C e D. "Para o público popular, o muito simples, o reto, não passa sensação de conforto. E o lojista também demora a assimilar o que a classe B está usando agora, por exemplo. O popular mesmo é fiel às formas orgânicas, ao verniz de alto brilho e aos detalhes cromados, que na sua concepção passa uma sensação de ordem e limpeza."
 


Fonte: Intersind citado por Portal Moveleiro



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

21/10/2019 às 22:33

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1179 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey