Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


07/02/2018

Instrumento de Gestão Ambiental entrará em vigor em março

A nova norma traz mudanças importantes nas análises dos processos de licenciamento


Um importante instrumento para a gestão ambiental em Minas passa a valer já a partir do próximo mês. A Deliberação Normativa (DN) 217/2017 entrará em vigor no dia 6 de março, trazendo importantes avanços na legislação que rege os recursos ambientais no estado, a exemplo da adoção de critérios locacionais e novos portes e potenciais poluidores dos empreendimentos. O prazo está estabelecido no texto da Deliberação Normativa 218/2017, publicada nesta sexta-feira, 2 de fevereiro, no Diário Oficial de Minas Gerais.
 
A DN 217 é o texto resultante da revisão da DN 74, norma amplamente analisada pelo Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam), com vistas a melhor se adequar à atual realidade de classificação dos mais diversos empreendimentos em Minas. O processo de análise, que vinha desde 2009, foi intensificado em janeiro de 2017. De lá para cá, foram diversos encontros técnicos, quase 600 manifestações da sociedade por meio de consulta pública, além de seis reuniões ordinárias e extraordinárias.
 
O processo democrático de revisão envolveu mais de 100 técnicos do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), além do Ministério Público de Minas Gerais, entidades do setor produtivo, organizações não governamentais (ONGs), outras secretarias do governo, além de lideranças de inúmeras instituições ligadas à questão ambiental no estado.
 
A Deliberação Normativa 74 era o grande arcabouço da legislação ambiental em Minas, que estabelecia critérios para classificação, segundo o porte e potencial poluidor de empreendimentos e atividades modificadoras do meio ambiente. Estes eram passíveis de autorização ambiental de funcionamento ou de licenciamento ambiental no nível estadual. Com a nova deliberação, de número 217/2017, ficaram extintas as autorizações ambientais de funcionamento, sendo admitidas novas modalidades, como o licenciamento ambiental simplificado.
 
Outra mudança importante que a DN 217 traz é a adoção de critérios locacionais na análise do licenciamento e ainda novos portes e potenciais poluidores dos empreendimentos. No primeiro item, a regra passa a exigir apresentação de estudo ambiental amparado na realidade local. Isso considera, por exemplo, a capacidade de recursos hídricos, presença de áreas preservadas, de mata atlântica, entre outros aspectos ambientais fundamentais na análise do licenciamento.
 
Já do ponto de vista das características do empreendimento, passam a ser analisadas novas realidades, como uso de tecnologias e outras ferramentas que podem reduzir impactos, mas também peculiaridades e portes que tendem a aumentar efeitos negativos no ambiente.
 


Fonte: SISEMA - Valquiria Lopes



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (2)


Paulo Ricardo Berbigier disse:

07/02/2018 às 13:36

Uma ?tima noticia para aglutinarmos o desenvolvimento com.as quest?es ambientais. Creio realmente que as quest?es ambientais devem ser analisadas levando-se em conta as particularidades do local.

Paulo Ricardo Berbigier disse:

07/02/2018 às 13:36

Uma ?tima noticia para aglutinarmos o desenvolvimento com.as quest?es ambientais. Creio realmente que as quest?es ambientais devem ser analisadas levando-se em conta as particularidades do local.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


186 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey