Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


16/11/2010

Irani Celulose aparece na 3ª posição do relatório FBDS

Graças à inclusão da sustentabilidade nas estratégias de negócio, a Irani Celulose está entre as dez brasileiras que levam o assunto a sério.

Graças à inclusão da sustentabilidade nas estratégias de negócio, a Irani Celulose, empresa do Meio-Oeste catarinense, está entre as dez brasileiras que levam o assunto a sério. É a única do estado a compor a lista.

A companhia ficou em 3º lugar na análise dos relatórios de sustentabilidade no ano passado, feita pela FBDS (Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável). 

Segundo o diretor de administração e finanças da empresa, Odivan Cargnin, o prêmio revela amadurecimento das ações já que, em 2008, a empresa estava em 8º lugar no ranking.

Para conquistar o aperfeiçoamento das ações, a Irani investe em metas sociais e ambientais, que trazem retorno dentro e fora do parque fabril. Além de fortalecer a marca da empresa.

Uma delas é diminuição na emissão de poluentes. A cada tonelada de gás carbônico que deixa de ser emitida na atmosfera, a empresa ganha um crédito de carbono, como prevê o protocolo de Kyoto.

Uma caldeira abastecida com pedaços de madeira de eucalipto e resíduos florestais dá conta de 30% da demanda de energia empresa. O objetivo é reduzir o consumo da força proveniente de recursos não renováveis, como a elétrica.

Outra vantagem é que todo o material queimado seria depositado em aterros sanitários. O processo de decomposição dessa madeira gera gás metano, que é 21 vezes mais poluente que o carbônico, liberado pela operação da caldeira.

Rejeito de celulose vira artesanato

As peças ainda não foram lançadas oficialmente no mercado artesanal. Só que muitas pessoas querem adquirir os produtos e valorizar a iniciativa. O rejeito de celulose da Irani está deixando de ir para o meio ambiente e virando motivo de orgulho para 13 artesãos de Vargem Bonita, no Meio-Oeste.

A empresa produz, diariamente, cerca de 20 toneladas do rejeito. Por enquanto somente parte desta quantidade está sendo utilizada, mas a intenção é expandir a produção.


Fonte: Painel Florestal ( Com informações da assessoria)



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

26/05/2020 às 07:49

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1333 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey