Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


13/09/2012

Mercado de celulose apresenta incremento de 30% em Eficiência Energética

Com política adequada, setor pode dobrar capacidade de geração e ter receita adicional de cerca de US$ 1 bilhão

Um dos pioneiros no uso sustentável de recursos naturais, o segmento de celulose tem investido na renovação de seu parque fabril e em projetos de eficiência energética. De grande importância para o setor, o tema estará na pauta das discussões do ABTCP 2012 – 45º Congresso e Exposição Internacional de Celulose e Papel, maior evento do setor de celulose e papel da América Latina, que será realizado pela ABTCP (Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel) entre os dias 9 e 11 de outubro, no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

“Com a renovação do parque industrial, a inauguração de novas plantas de celulose de mercado de última geração tecnológica e a adoção de políticas mais sustentáveis, o segmento apresentou um incremento da ordem de 30% em eficiência energética nos últimos dez anos, ganhando competitividade com economia de recursos, e amenizando assim a pressão sobre o aumento da demanda de energia, apesar de seu crescimento acelerado”, destaca Celso Foelkel, diretor de relações internacionais da ABTCP e presidente do congresso ABTCP 2012.

De acordo com estudo do Grupo Pöyry, multinacional finlandesa de consultoria e serviços de engenharia, o setor de celulose e papel pode gerar mais que o dobro da energia que consome. Considerando uma fábrica com capacidade para produzir 1,5 milhão de toneladas de celulose branqueada por ano, é possível gerar até 270 MW de energia. Desse total, estima-se que menos da metade, 108 MW, são utilizados pela própria indústria. 

“Para viabilizar a adoção de práticas que fomentem uma melhor eficiência energética nos processos produtivos desta indústria é preciso baratear o custo de produção da energia e criar incentivos para fortalecer a prática da eficiência, como a venda do excedente energético gerado pela atividade do setor, hoje com restrições para valores acima de 30 MW por unidade industrial”, ressalta Foelkel.

Com esses incentivos em prática, o setor pode alcançar uma receita adicional de quase US$ 1 bilhão ao ano, revendendo à rede de transmissão o adicional gerado pelas empresas de celulose e papel, ou seja, um incremento da ordem de 19%. Atualmente, quase 85% da matriz energética da indústria de celulose e papel provém do uso de licor negro e de biomassa.

Guia de Eficiência Energética
De modo a orientar as empresas do setor a implantarem programas de melhorias em eficiência energética, a ABTCP lançou no ano passado, em parceria com a CNI (Confederação Nacional da Indústria) e a Eletrobrás, o Guia de Eficiência Energética. 

O documento aponta caminhos para as empresas otimizarem o perfil e a relação do consumo de energia e dos combustíveis, de forma a diminuir tanto os gastos nessa área, quanto os impactos ambientais associados ao seu consumo.

Entre as sugestões para que as empresas melhorem a eficiência energética estão a alteração da matriz energética para a utilização de combustíveis renováveis, como etanol de celulose e gaseificação da madeira; a otimização da queima de licor negro nas caldeiras de recuperação por meio da melhoria na evaporação de licor negro (aumento do teor de sólidos); produção de vapor com pressão mais alta para geração de mais energia elétrica;redução das perdas térmicas no processo; gerenciamento de resíduos sólidos, incluindo reuso e compostagem; queima de metano (biogás) gerado nos aterros industriais para resíduos não inertes; captação de metano nos sistemas de tratamento de efluentes que utilizem tecnologia com sistema anaeróbico;    reestruturação do modal do transporte, tanto da matéria-prima como do produto acabado, incluindo o modal hidroviário; maior utilização de biocombustíveis na frota florestal; adoção de tecnologias que elevem a produtividade das plantações; geração de energia através de cogeração em caldeira à biomassa.
 
ISO 50001
 Desde 2011, empresas de diferentes segmentos industriais podem recorrer a uma importante ferramenta a favor da eficiência energética: a ISO 50001. Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a norma especifica requisitos para o estabelecimento, a implantação, a manutenção e a melhoria de um sistema de gestão de energia com o propósito de habilitar organizações a seguir uma abordagem sistemática para atendimento da melhoria contínua de seu desempenho energético. 

ABTCP 2012
Maior evento do setor de celulose e papel na América Latina, o ABTCP 2012, que será realizado em parceria com a Tecnicelpa (Associação Portuguesa dos Técnicos das Indústrias de Celulose e Papel) e Riadicyp (Rede Ibero-americana de Docência e Investigação em Celulose e Papel), deve reunir deve reunir cerca de 600 congressistas, mais de 200 expositores e receber cerca de 10 mil visitantes. 

A novidade desta edição fica por conta da parceria com o CIADICYP – Congresso Ibero-Americano de Investigações em Celulose e Papel –, importante evento do setor já organizado anteriormente na Argentina, Brasil, Espanha, Chile, México e Portugal.

O congresso e exposição serão realizados no Transamerica Expo Center, Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 (Próximo à Ponte Transamérica), em São Paulo.
 


Fonte: CeluloseOnline



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

03/03/2021 às 15:03

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

As mais lidas


Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


1831 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey