Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


24/04/2017

Programa Mais Floresta discute cultivo de erva-mate no MS

 
O estado do Mato Grosso do Sul produz hoje menos de 20% da erva-mate que consome. Os produtores do sul do estado produzem, em média, 7 toneladas por hectare a cada dois anos e, segundo o presidente do Sindimate – Sindicato das Empresas Produtoras de Erva-Mate de MS, Paulo Cesar Benites, “o custo maior da erva-mate comercializada em todo o estado está no transporte, já que a maior quantidade do que as empresas compram vem do Paraná, e o frete e os impostos encarecem o produto”.

São apenas 11 empresas que produzem erva-mate em grande escala no estado, enquanto que no Rio Grande do Sul são mais de 300. A área total plantada está em torno de 300 hectares. Mas esta realidade pode mudar num curto espaço de tempo.

Como forma de incentivar o cultivo e, principalmente, levar informações para que os produtores possam aumentar a produtividade por hectare para em torno de 20 toneladas a cada dois anos, o Senar-MS e a Paulo Cardoso Comunicações estão promovendo no próximo dia 28 de abril, a partir das 8h da manhã, no Sindicato Rural de Ponta Porã, mais uma etapa do Programa Mais Floresta com o tema Produção de Erva-Mate e Produção de Bambu – Novas Oportunidades de Negócios.

O Senar, em parceria com a Embrapa Florestas, Agraer, Sebrae, Embrapa Agropecuária Oeste, Embrapa Gado de Corte e Sindimate, estão organizando neste dia uma série de 3 palestras que visam levar mais informação ao produtor rural, principalmente pequenos e médios, para que conheçam o programa Erva20 da Embrapa Florestas, saibam como andam as pesquisas já em andamento feitas  pela Embrapa Agropecuária Oeste e o programa de incentivo desenvolvido pela Agraer que abrange 11 municípios da região sul do estado.

O programa Erva20 foi criado para levar ao produtor rural o que mais falta hoje na bibliografia sobre erva-mate no Brasil: informação. O analista Ives Goulart, da Embrapa Florestas, apresentará o sistema de produção Erva20, que está em desenvolvimento pela Embrapa Florestas visando implementar um sistema de produção para a erva-mate. O Erva20 pretende auxiliar o produtor de erva-mate a elevar o patamar de produtividade e qualidade dos ervais. "É uma junção de resultados de pesquisas, já validados, que a Embrapa Florestas vem realizando há mais de 30 anos com a erva-mate, e que agora estarão disponíveis de forma organizada e acessível para técnicos e produtores", explicou Ives. "Percebemos que os produtores podem adotar ajustes de manejo nos seus ervais, com soluções tecnológicas desenvolvidas pela Embrapa Florestas e parceiros, que vão ajudar a cadeia produtiva a dar um salto para novos mercados", completou.

Atualmente, estima-se que cerca de 150 mil pequenos produtores rurais trabalham com o cultivo da erva-mate, em especial para abastecer o mercado interno de chimarrão e, em menor escala, exportação.

No entanto, um amplo mercado tem potencial para ser trabalhado tanto dentro do Brasil quanto internacionalmente. Diversos países têm descoberto o potencial da erva-mate para outros produtos, como chás e outros alimentos, cosméticos, entre outros. Estes países têm demandado matéria-prima do Brasil e da Argentina. Aspectos como qualidade da matéria-prima e estabilidade de produção são fundamentais para o produtor ampliar seu potencial de mercado.

Tendo em vista este potencial,  o Erva20 propõe critérios qualitativos e de melhoria no sistema de produção para que os produtores elevem seus patamares de qualidade e produtividade.

O pesquisador da Embrapa Florestas e Chefe Adjunto de Transferência de Tecnologia, Vanderley Porfírio-da-Silva, acrescenta que “na oportunidade, pretendemos abrir negociação com  as entidades e instituições com atuação no estado para que possamos construir juntos um programa de transferência de  tecnologia para o cultivo da erva-mate no MS, incluindo a validação de novas cultivares de erva-mate recentemente desenvolvidas”.

Ives Goulart finaliza dando um recado aos produtores: “Quando trabalhar com erva-mate, pense como se estivesse trabalhando com outras culturas: que seu erval seja produtivo com práticas mais eficientes, usando critérios racionais de produção. Esta é uma atividade muito adequada para pequenos e médios produtores rurais porque tem um alto valor agregado e um sistema de produção de baixo custo. É importante conhecer o sistema e aprender cada nova prática. Por isso, não deixe de comparecer no dia 28 em Ponta Porã, vamos mostrar que produzir 20 toneladas por hectare é possível”.

Para mais informações, acesse o site do evento e faça já a sua inscrição gratuita, pois haverá entrega de certificado aos participantes: http://senarms.org.br/projetos/mais-floresta/programacao-28-de-abril-de-2017/

Logo após as palestras, o Sebrae organiza um Bate Papo de Negócios para que as empresas e os produtores rurais possam se conhecer e realizar bons negócios. E, no começo da tarde, vai acontecer uma visita técnica a uma propriedade produtora de erva-mate.
 
Katia Pichelli (MTb 3594/PR) 
Embrapa Florestas 
florestas.imprensa@embrapa.br 
Telefone: (41) 3675-5638
Paulo Cardoso Comunicações 
paulocardosocom@gmail.com 
 
Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/
Encontre mais notícias sobre:
erva-mate,  programa mais floresta


Fonte: Embrapa Florestas



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

25/05/2017 às 13:16

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site

Mercados de produtos florestais alternam entre estagnação e crescimento nos seus diversos setores em 2016. Saiba mais aqui.
 
Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

Uma meta, sem um plano para chegar lá, nada mais é do que um simples desejo.
Antoine de Saint-Exupery

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

O que você acha da implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR)?

Trará benefícios aos produtores rurais
Trará benefícios ao meio ambiente
Trará benefícios apenas para o governo
Trará benefícios aos produtores rurais, ao meio ambiente e ao governo
Não muda a situação dos produtores rurais, nem do meio ambiente

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


369 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey