Facebook Twitter RSS

Avanço e Pesquisa

Versão para impressão
A-
A+


16/08/2016

Saiba como estimar o escoamento superficial em microbacia hidrográfica sob diferentes condições de uso da terra

Reprodução Google
Nos últimos anos tem-se visto uma maior preocupação em relação aos recursos hídricos no mundo, por esse ser um recurso natural fundamental que pode se tornar escasso. No Brasil, há problemas relacionados à quantidade disponível para uso e qualidade dos recursos hídricos, isso por falta de uma adequada gestão. O tempo em que a água permanece nas diversas partes da hidrosfera influencia, entre outros, a disponibilidade hídrica, a ocorrência de inundações e escassez, bem como a dinâmica de elementos, nutrientes e poluentes no ambiente.
As águas provenientes da precipitação tem se transformado em escoamento superficial, isso devido ao incorreto manejo do solo, ocasionando redução no volume de água que infiltra e abastece o lençol freático, as nascentes e os cursos d'água, além do aumento da erosão hídrica. A falta de infiltração da água precipitada nas propriedades rurais possui relação direta com tais problemas. Dentre os problemas causados pelo escoamento superficial, destaca-se a erosão hídrica do solo.
Diante desse cenário, o Graduado em Engenharia Florestal, Vitor Heringer Silva da Universidade Federal do Espirito Santo, baseou seus estudos nas estimação da vazão máxima (Qmáx) e a lâmina de escoamento superficial (LES) em microbacia hidrográfica localizado no município de Alegre, sob diferentes condições de uso da terra (café, pastagem, reflorestamento de espécies nativas e floresta nativa). Tendo como objetivo avaliar a influência de diferentes tipos de uso da terra na vazão máxima e lâmina de escoamento superficial na microbacia hidrográfica rural, em questão, a partir de estimativas de modelos hidrológicos.
Pode-se concluir que, o uso do solo influencia a vazão máxima de escoamento superficial e a lâmina de escoamento superficial, seguindo uma tendência de maior valor para café e pastagem, e menor valor para reflorestamento e floresta. - O modelo HidroBacia leva em considerações maiores informações da microbacia, sendo assim mais confiável sua aplicação comparados com o método Racional para estimação da vazão máxima de escoamento superficial e o método do Número da Curva para estimação da lâmina de escoamento superficial.
 
Esse trabalho do Setor Florestal poderá ser acessado
 na nossa Biblioteca Florestal Digital.
 


Fonte: Mariana Barbosa - Polo de Excelência em Florestas



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

21/11/2017 às 13:37

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para carvão?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


2353 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey