Facebook Twitter RSS

Notícia

Versão para impressão
A-
A+


29/11/2017

Simpósio discute fome e biodiversidade

Simpósio Internacional Biodiversidade para Alimentação e Nutrição, em Brasília, reúne experiências de quatro países no combate à fome.


Com a participação de representantes do Brasil, Quênia, Sri Lanka e Turquia, acontece nesta segunda-feira (27/11) em Brasília, o Simpósio Internacional Biodiversidade para Alimentação e Nutrição. O evento promove a troca de experiências entre os países que sediam o Projeto Biodiversidade para Alimentação e Nutrição (BFN), da ONU Meio Ambiente. No Brasil, o projeto é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA).

O BFN busca o uso sustentável da biodiversidade em programas que contribuam para a melhoria da segurança alimentar e da nutrição humana. Ao mesmo tempo, valoriza a importância alimentícia e nutricional das espécies relacionadas à biodiversidade agrícola e o resgate do valor cultural desempenhado no passado por muitas dessas espécies.

A secretária de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do MMA, Juliana Simões, que participa do evento, alertou que o conhecimento tradicional associado à alimentação corre o risco de desaparecer. "A alimentação dos povos indígenas e comunidades tradicionais está sendo substituída por outros alimentos", disse. Juliana Simões ressaltou que, frente aos efeitos da mudança do clima, é necessário "valorizar os produtos da sociobiodiversidade e o conhecimento tradicional que é estratégico para a segurança alimentar".

CONSERVAÇÃO
Já o secretário de Biodiversidade do MMA, José Pedro de Oliveira Costa, destacou a importância da relação entre a segurança alimentar e a conservação da biodiversidade. Segundo ele, em um país megadiverso, como o nosso, os mecanismos de proteção da biodiversidade estão ligados às comunidades. O secretário citou os programas do ministério, como o Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa) e o Corredores Ecológicos, como exemplos da participação das comunidades na conservação da biodiversidade.

Patrícia Gentil, do Ministério do Desenvolvimento Social, ressaltou a importância da sociobiodiversidade na agenda de segurança alimentar. "O Brasil conseguiu sair do mapa da fome em 2014 e temos o desafio de permanecer fora dele", salientou. Ela destacou os programas do governo federal, envolvendo 20 ministérios, na agenda da segurança alimentar e nutricional. Patrícia Gentil também defendeu a produção alimentar mais saudável e adequada, que considerou um dos principais itens da segurança alimentar.

MENSAGENS
Participaram, ainda, por meio de vídeos pré-gravados, o secretário-geral da FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação), Francisco Graziano; e o diretor-executivo da ONU Erick Solheim. Eles defenderam a segurança alimentar e a preservação da biodiversidade como fundamentais para o combate à fome no mundo. Para Graziano, a segurança alimentar "é uma responsabilidade coletiva". Já Solheim destacou que "cuidando da natureza, a natureza cuida das pessoas".

O simpósio continua nesta terça-feira (28/11), restrito para convidados. A programação conta com a apresentação de publicações e outras importantes ferramentas de capacitação e de pesquisa. Entre elas estão: o Banco de Dados de Composição Nutricional da Biodiversidade; a coleção de publicações Plantas para o Futuro; o livro de receitas Biodiversidade do Brasil: sabores e aromas; e um curso online: Biodiversidade para Alimentação e Nutrição, o qual será aberto a todos os interessados.


Fonte: Ministério do Meio Ambiente



Publicidade


Deixe seu comentário no espaço abaixo ou clique aqui e fale conosco.


Nome: Email (não aparecerá no site):




Comentário(s) (0)


CIFlorestas disse:

12/12/2017 às 06:37

Nenhum comentário enviado até o momento.

Novidades do Site


Quer divulgar sua empresa ou está buscando uma empresa florestal?

Pensamento

A melhor maneira de realizar os seus sonhos é acordar.
Paul Valéry

Vídeo

Bureau de Inteligência

Análise Conjuntural
Editais
Produções Técnicas

Patentes
Cartilha Florestal
Legislação



Publicidade

Mercado

Cotações
Câmbio
Mapa Empresarial


Enquete

Do ponto de vista técnico e operacional, qual é a melhor unidade para comercialização da madeira para celulose?

volume de madeira sólida (metro cúbico)
tonelada de madeira
metro estéreo ou metro de lenha
unidade ou peças de madeira

Receba no seu email

Análise Conjuntural

Estudo e análise de especialista sobre o mercado de florestas.

Newsletter

Receba as novidades do setor de florestas no seu email.

Nuvem de Tags


66 visitas nesta página

Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTAS  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   LARF  |   MAIS FLORESTAS  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey