Brasil em Ação: Ameaças e Oportunidades Econômicas na Fronteira Amazônica

Nesse artigo discutimos as conseqüências do Programa Brasil em Ação para o desenvolvimento da economia rural na Amazônia com destaque para área de influência da BR 163 (Santarém-Cuiabá). Inicialmente, descrevemos os atuais padrões de uso do solo na Amazônia, o qual é caracterizado por um baixo valor de uso do solo (pecuária extensiva e áreas abandonadas), elevada concentração de terra, e uso predatório dos recursos florestais. Em seguida, revelamos que algumas obras de infra-estrutura, principalmente o asfaltamento de rodovias, irão favorecer a manutenção desse padrão de uso da terra e agravar a degradação ambiental. Finalmente, indicamos que há políticas públicas, em especial no âmbito do Ministério do Meio Ambiente (por exemplo, Programa de Florestas Nacionais e Programa de Áreas Protegidas), que podem assegurar um desenvolvimento sustentado com base nos recursos florestais manejados e na intensificação da agropecuária em áreas já desmatadas.