Custos e Benefícios do Manejo Florestal para a Produção de Madeira na Amazônia Oriental

Neste estudo, inicialmente avaliamos a viabilidade técnica, a eficiência e a rentabilidade do manejo florestal no leste da Amazônia comparando a exploração de madeira com e sem manejo em duas áreas adjacentes. Em seguida, estimamos, através de simulações, o valor presente da receita líquida (VLP) da exploração da primeira e segunda colheita seletiva de madeira, em ciclos de 20 e 30 anos, com e sem manejo Estimamos o custo do planejamento da exploração em US$ 72/ha, ou cerca de US$ 1,75 a 2,15/m³, considerando a exploração típica de aproximadamente 35 a 40 m³/ha na região. Mais de 90% destes custos eram referentes ao mapeamento das árvores, corte de cipós e planejamento das operações de derrubada e arraste das toras. Entretanto, o aumento de US$ 3,64/m³ no lucro da operação manejada foi duas vezes maior do que os custos do seu planejamento. Estimamos que, com manejo, o volume disponível para uma segunda colheita seletiva de madeira seria 68% maior do que na exploração não manejada. Em um ciclo de corte de 30 anos, o VLP de duas colheitas de madeira com manejo seria entre 38 a 45% maior do que sem manejo, para taxas de desconto entre 20 e 6% ao ano, respectivamente. Embora o manejo seja economicamente viável, ainda existem barreiras para a sua aplicação em ampla escala na região amazônica.