POLO DE EXCELÊNCIA EM FLORESTAS
CIFlorestas
Facebook Twitter RSS
Buscar:  

Cedro Australiano

 

 
Aspectos botânicos
 
            O Cedro-australiano (Toona ciliata)  pertence à família Meliaceae, tem sua origem na Austrália, Índia, Miamar, Malásia e Indonésia sendo, portanto, uma espécie exótica no Brasil, encontrando condições favoráveis para o seu desenvolvimento na região Sudeste e sul da Bahia.
 
            A árvore pode alcançar 50m de altura e 2m de diâmetro, seu tronco é retilíneo, algumas vezes apresenta bifurcação, com sapopemas pouco evidentes e baixas. Sua copa é verde, com formas capitata esférica e às vezes umbeliforme.
 
            Suas folhas são alternas e compostas, pendentes de coloração esverdeada. O pecíolo tem de 5 a 11 cm de comprimento, a sua base é dilatada, sulcoso-estriado, com poucas lenticelas. Os folíolos são opostos, com 7,5 a 20 cm de comprimento por 3 a 7 cm de largura, oval-lanceolados, com pilosidade esparsa. Quando maceradas exalam odor agradável.
 
            As flores são pendentes, com pedúnculo pendentes e de tamanho menor que as folhas. São unissexuais com 3 a 4 mm de comprimento. De coloração branca. O fruto é cápsula deiscentes com 15 a 20 mm de comprimento, castanho escuro, com lenticelas, abrindo-se do ápice em direção à base. As sementes são aladas e pequenas de 10 a 20 mm de comprimento, são aladas, de cor castanho-clara e uma faixa castanho-escura diagonal, contornando toda semente, se armazenada em câmara fria e recipiente fechado, é viável por até um ano.
 
            A espécie Toona ciliata cresce em áreas com precipitação anual entre 800 e 1.800 mm com 2 a 6 meses de seca, apresentando bom crescimento em regiões de 100 a 1.500 m de altitude. Quanto à temperatura, a espécie sobrevive sob temperaturas mínimas absolutas pouco abaixo de 0ºC. A espécie não suporta solos argilosos compactados e nem solos arenosos pobres, necessitando de solos com boa drenagem, profundos e eutróficos.
 
            A sua produção esperada é de 250 a 300 m³/ha aos 20 anos, dependendo das condições locais e nível tecnológico adotado.
 
           
 
Utilização de produtos
 
             O Cedro-australiano (Toona ciliata) é cultivado com o objetivo de fornecer madeira de qualidade para serrarias e indústrias moveleiras. Podendo ser utilizada para fabricação de compensados, aglomerado, móveis, esculturas, entalhes em portas e janelas, na construção de navios e aviões, fabricação de lápis, instrumentos musicais.
 
            A madeira de cedro é marrom-avermelhada, de boa durabilidade, fácil secagem e desdobro. É macia e de textura grossa, com densidade aproximada de 0,33 a 0,60g/cm³.
           
Doenças
 
Ainda não foram registrados cientificamente doenças em Cedro-australiano (toona ciliata)
 
Pragas
 
1.      Formigas cortadeiras
 
            A principal espécie de formiga que ataca o Cedro-australiano são as saúvas, que ocorrem em todo o Brasil, sendo as espécies mais importantes: Atta sexdens rubropilosa (saúva-limão) e Atta laevigata (saúva-cabeça-de-vidro), que constrõem seus ninhos subterrâneos, interligados por galerias, e usam substrato vegetal para o desenvolvimento de seu fungo, do qual se alimentam.
 
Para o controle de formigas cortadeiras, o método mais eficiente é a aplicação de produto químico tóxico utilizado diretamente nos ninhos, nas formulações pó, líquida ou líquidos nebulizáveis, ou na forma de iscas granuladas, aplicadas nas proximidades das colônias. O emprego de iscas granuladas, principalmente através de porta-iscas (PI) e microporta-iscas (MIPIs), é considerado eficiente, prático e econômico. Oferecem maior segurança ao operador, dispensam mão-de-obra e equipamentos especializados. A quantidade de iscas utilizadas em MIPIs é variável dentro da faixa de 1,6 a 3,0 kg.ha-1, com MIPIs espaçados de 6 x 6 m ou 6 x 9 m, aplicadas cerca de um mês antes do corte das plantas ou 15 dias após a roçada.
 
2. Besouro serrador
 
O gênero Oncideres sp são besouros com 15-30mm de comprimento, as suas antenas são mais longas que o corpo, sua coloração é pardo-amarelada ou branca-amarelada, e élitros com manchas claras ou amarelas. O ovo tem formato elíptico, de cor branca. A larva, branco-leitosa, mede de 20 a 30 mm de comprimento.
 
O ataque do besouro serrador consiste na amputação de galhos, além de deceparem ponteiros. O controle é feito com o aumento da população de inimigos naturais (fungos, parasitóides), a catação e queima de galhos caídos devido o ataque do serrador e em caso de surto aplicar inseticidas químicos.
 
3.      Erva de passarinho
 
            Erva-de-passarinho, Struthanthus flexicaulis (Mart. ex Schult. f.) Mart., é uma planta superior, daninha, parasita, que ataca geralmente as plantas lenhosas, sugando sua seiva e podendo causar até a morte da planta se não for retirada. A parasita recebeu esse nome porque se espalha com a ajuda dos passarinhos: eles ingerem as sementes que são eliminadas mais tarde, junto com as fezes. A não existência de um produto eficaz no seu controle, deve combatê-la arrancando, sendo muitas vezes necessário o corte de galhos, diminuindo a produtividade da planta atacada.
 
 
Colheita e Transporte
 
Corte
            No processo de corte, ocorrem as operações de derrubada, desgalhamento, traçamento, enleiramento e dependendo do sistema e equipamentos de corte utilizados o descascamento.
 
            O corte de Cedro-australiano pode ser realizado com motosserras, tratores derrubadores empilhadores “feller-buncher” e tratores derrubadores com cabeçotes processadores “harvester” dependendo das condições de topografia. 
 
Desgalhamento e traçamento
            No Brasil, as formas mais comuns de se fazer o traçamento e desgalhamento são manualmente com machado, usando motosserra, grade desgalhadora com motosserra, cabeçote de harvester ou desgalahdor/traçador mecânico. Devendo ser esses os procedimentos na colheita do Cedro-austrliano.
 
Extração
            A extração pode ser feita por arraste, baldeio ou suspensa, diferindo pela forma como será realizada. No Brasil a principal forma é a por arraste com equipamentos Miniskidders, Skidders. Podendo utilizar outras formas como: Clambunk, trator com barra e corrente, guinchos e até mesmo por arraste animal em algumas situações.
 
Carregamento
            Pode ser utilizado para carregamento: Carregamento manual (altos índices de acidentes), gruas hidráulicas acopladas a tratores agrícolas e escavadeiras com garras.
 
1) Carregamento do veículo na área de corte para baldeio
2) Carregamento do veículo na área pré-determinada ou em pátios, para transporte a longa distância
3) Carregamento direto na área de corte para o veículo que faz o transporte a longa distância.
 
Descascamento
             O descascamento mecanizado tem sido realizado na área de corte ou em pátios, ou beira de estrada, sendo efetuado por descascadores móveis do tipo anelar. Quando se utiliza Harvester no corte, este equipamento pode também realizar o descascamento.
 
Transporte
O transporte de madeiras está atrelado às leis de transporte de cargas vigentes no Brasil devendo obedecer as normas de carga máxima por eixo e comprimento máximo dos implementos no caso de carretas. As estradas florestais somam um total de 620.000 Km em todo o território brasileiro. Portanto, o dimensionamento do veículo de transporte a ser utilizado dependerá do capital, distância a ser percorrida e a produção realizada e esperada.
 
Referências Bibliográficas
 
·         PAIVA, H.N., Notas de aula de ENF 333 Cultura de Essências Exóticas e Nativas, 2008 II
 
·         PINHEIRO, A.L., LANI, J.L., COUTO, L. Cedro australiano: cultivo e utilização (Toona ciliata M. Roem. Var. australis (F. Muell) Bahadur). Viçosa: UFV, 2006. 42p.
 

 


Publicidade






25612 visitas nesta página

Publicidade
Polo de Excelência em Florestas

Parceiros

AMS  |   ECOTECA DIGITAL  |   EMBRAPA FLORESTA  |   EPAMIG  |   FAEMG  |   INTERSIND  |   MAPA  |   SEAPA  |   SEBRAE  |   SECTES  |   SEDE  |   SEMAD  |   SIF  |   UFLA  |   UFV  |   UFVJM  |   UNIFEMM  |  

Colaboradores

ACELERADORA DE  |   AGROBASE  |   AGROMUNDO  |   APABOR  |   BRACELPA  |   CIENTEC  |   FAPEMIG  |   FINEP  |   IEF  |   LATEKS  |   PAINEL FLORESTAL  |   TRATALIPTO  |   UFV JR. FLORESTAL  |  
Desenvolvido por Ronnan del Rey